Revisitando o tema: Stop Loss Automático ou Stop Loss Manual?

A semana que findou, novamente serviu para demonstrar que o Stop Loss Manual no poupa de saídas precipitadas em operações em tendência (as poucas que ainda restam abertas neste início de 2014).

Abaixo vemos o gráfico semanal de EQTL3, que mostra uma sombra alongada abaixo do Hilo Activator (otimizado para o ativo), mostrando a volatilidade intra-semanal.



Se houvesse um Stop Loss Automático, a operação teria sido findada prematuramente.

Com o tempo percebe-se que o preço de fechamento é o que importa e isto independe de qual tempo gráfico estamos operando.

Fechamento é o consenso,  mostra o caminho aceito pelo conjunto de investidores. O resto é apenas volatilidade.

Entretanto, o Stop Loss Manual (não programado na Corretora e Executado Manualmente pelo Operador) depende de grande disciplina e frieza do Operador.

Esta nítida desvantagem tem que ser analisada e lembrada, uma vez que o respeito ao sistema de trade, confiança no planejamento prévio e frieza no fechamento de posições deve ser total.

Abaixo o novo exemplo do quanto citado, a ESTC3:



Mas existe quem gosta de Stop Loss Automático:

I - Sua Corretora.
II - Seu Agente Autônomo de Investimentos.

Afinal, para eles o que importa é o giro financeiro e quanto mais entradas e saídas melhor.

Não devemos culpá-los, afinal estimular um "cliente" (ovelha) a ficar muito tempo em uma operação em tendência vai de encontro ao seu ganha pão diário.

Existe nitidamente um conflito de interesses entre o Cliente e a Corretora, por mais que alguns queiram negar.

O jogo do mercado está aí para levá-lo ao "buraco", afinal alguém precisa perder para fazer o giro financeiro acontecer.


Estude e principalmente tenha certeza do que está fazendo!


Não seja a ovelha!


 E se for seja a "ovelha" negra!




Comentários

  1. É uma verdade que aprendi nos últimos dias, Fernando. Estopei uma operação na POMO4 no gráfico diário faltando 30 minutos para o fim do pregão pois o HILO tinha sido violado, mas o "fela" voltou a ficar no positivo no fechamento. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se estamos operando gráficos semanais, temos que dar importância ao fechamento e não a volatilidade intra-candle.

      O ponto negativo é o risco do Operador travar e não estopar uma posição perdedora, mas para estar no mercado é preciso coragem, disciplina e planejamento.

      As vantagens superam os riscos na minha opinião.

      Excluir
  2. Não entendi!
    Imaginei que, caso o preço de FECHAMENTO da semana ficasse abaixo do HiLo, aí sim, seria dada venda logo no início da semana seguinte. Um stop desta natureza, automático, atende os requisitos do setup semanal. Para quê demonizar o stop automático quando o setup foi violado por uma atuação dentro do pregão. O que acontece dentro do pregão não interessa para os de setup diário, assim como o que acontece dentro da semana não interessa para os setups semanais, penso eu.
    Embora em setups semanais o HiLo de alta seja feito pela média dos mínimos semanais (não?!), o que interessa para a ação suponho ser o fechamento semanal, ou o princípio de atuação estará sendo violado. Mínimos e máximos penso só interessarem para a construção dos HiLo´s.
    O que foi descrito parece mais uma violação do setup: querer agir no meio do pregão (ou da semana). A disciplina de atuação não teria sido violada? Cada tempo gráfico tem seus ditames!
    A menos que algum método de previsão intraday (por séries temporais, p. ex.) fizesse supor que, ao término do dia (ou da semana), o consenso final do mercado fôsse de uma baixa.

    Penso que o que se quis dizer é que setups devem ser obedecidos (e os correspondentes automatismos mantidos), ou mudados...

    Ramses

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ramses,

      Eu não entendi também, já que a sua conclusão é a mesma minha!

      Abs,

      Excluir
  3. Fernando, se você não se importar, peço a licença para um comentário.
    Acho que o Ramses compreendeu o post extamente ao contrário do que você quis dizer, rs. Ou então, confundiu os conceitos de stop automático e manual.
    Ramses, Não sei se foi isso que vc entendeu, mas o stop automático a que o Fernando se refere é um stop acionado imediatamente quando o valor do hilo é violado, a qualquer momento durante a semana. Já o stop manual só é acionado no momento do fechamento do candle.
    Você está certo em toda a sua análise, mas acho apenas que confundiu os dois. As decisões de entradas e saídas so podem ser executadas depois do fechamento do candle, e isso quer dizer que o stop tem que ser MANUAL.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  4. Obrigado, Henrique!
    Esclareceu tudo.

    Abraços e bons negócios
    Ramses

    ResponderExcluir
  5. Bons comentarios sobre fechamento e saida antecipada, contudo para tempos de intraday, filosofia de fechamento deve ser tomada com algumas restricoes.
    Josue

    ResponderExcluir
  6. Acho também que os stops devem ser manuais com apenas uma observação.
    Por ser manual e no fim no fechamento do pregão de sexta na grande maioria das vezes quando somos stopados o fechamento do candle sempre é um percentual abaixo do verdadeiro valor do stop do Hilo.
    A minha idéia é ajustar a gestão de risco na hora da entrada do trade para essas diferenças entre o preço real do fechamento do candle e o valor do stop do hilo. O que é normal e tem que ser computada.

    Abc,

    Léo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida!

      Por isto utilizo um manejo de risco misto, que mescla capital alocado máximo e capital em risco máximo. Visando evitar exposição excessiva em uma única posição.

      Excluir

Postar um comentário



Postagens mais visitadas deste blog

Pedidos de Análise

Desvendando a mente de um seguidor de tendências!

Backtestes