"30 for 30 – Broke" - Por Guilherme Braga


Olá pessoal!

Visando  agregar ainda mais conteúdo de qualidade aqui no blog, compartilhamos o artigo abaixo do Guilherme Braga, Sócio-Diretor da Capital Serviços Educacionais, nosso novo parceiro.



Por Guilherme Braga, Sócio-Diretor da Capital Serviços Educacionais.





Ganhar milhões de dólares e alguns anos depois quebrar é algo incomum? O documentário “30 for 30 – broke” da ESPN americana demonstra que não é algo raro.

Dados mostram que dois anos após a aposentadoria, 78% dos jogadores de futebol americano profissional da NFL (National Football League) quebram ou estão preocupados por razões financeiras. Tão alarmante quanto este número, é que em cinco anos depois de se aposentar, 60% dos jogadores de basquete norte americanos estão literalmente “quebrados”.
 

Broke, do inglês quebrado, é um documentário dirigido por Billy Corben, nativo da Flórida (EUA), com vários depoimentos que chamam atenção, pela incrível carreira que alguns atletas conseguiram desenvolver e pela má administração de gastos dos mesmos, que os levaram à falência.
 

As causas são diversas, abaixo estão algumas das listadas durante o documentário:
 

• Gastos em excesso: a ostentação é algo comum aos atletas, portanto querem mostrar o seu status quando começam a ganhar dinheiro, com seus carros, casas, joias e viagens em excesso.
• Sustentar muitas famílias: na sociedade americana é comum à divulgação dos salários dos atletas, logo todos sabem o quanto de recurso cada jogador tem no final da temporada. Com as suas carreiras decolando, muitos familiares e amigos passam a ser sustentados pelos atletas.

• Divórcios: Greg Norman, na separação com Laura Andrassy, perdeu 105 milhões de dólares por não ter um contrato pré-nupcial. No caso de Michael Jordan, pagou 150 milhões de dólares no divorcio.

• Filhos: alguns atletas como Evander Holyfield tiveram onze filhos, com nove mulheres diferentes, o que o levou a um alto custo com pensões.

• Péssimas escolhas de investimentos: o documentário mostra também, que jogadores investem desde fazendas de tomate, extração de diamante na África, até empresas de computação gráfica, Todos investimentos não calculados e planejados, prejudicando e comprometendo ainda mais o orçamento de cada atleta.

• Carreira mais curta que o planejado: a maioria dos atletas quando começa na liga, planeja sua carreira por pelo menos 10 anos, no entanto, principalmente em esportes de contato como futebol e basquete, a qualquer momento pode ocorrer uma lesão que encurte sua carreira ou até mesmo acabe.
 

O interessante do documentário é que em muitos momentos são relatados atos impensáveis, realizados por quem possui dinheiro em excesso, como por exemplo, fazer o dinheiro voar” (pratica de jogar dinheiro para o alto, para mostrar poder).
 

Outro aspecto marcante, e algo que acontece muito no Brasil, é o primeiro ato, quando o esportista ganha dinheiro, comprar uma casa para os pais. Vale a pena assistir esse documentário, tem apenas 1 hora e 45 minutos e, com certeza, fará você repensar suas ações e medidas para não desperdiçar dinheiro.
 

Outro exemplo fora do documentário é o Mike Tyson que ganhou 400 milhões de dólares e também quebrou como mostra a reportagem da Veja. (http://veja.abril.com.br/130803/p_064.html).
 

Não importa quanto dinheiro você ganhe se não souber administrar corretamente seu capital, prever gastos e receitas. Fica claro nesse documentário, a importância da educação financeira, tanto para começar a guardar dinheiro, quanto para continuar a economizá-lo.

Comentários

Postar um comentário



Postagens mais visitadas deste blog

Pedidos de Análise

Como conectar-se com o Blog TFB