PENSAMENTOS SOBRE "TREND FOLLOWING"

Abaixo recortei algumas opiniões postadas por mim no fórum do interessantíssimo site www.tffn.com.br, que julgo interessantes para o entendimento do nosso sistema:


"Pessoal,

Uma questão também importante a ser discutida é a seletividade dos ativos.

Aqui devem entrar principalmente os fundamentos e histórico da volatilidade semanal do ativo.

Feita esta seleção dois caminhos podem ser trilhados:
I - sistematicamente operá-los, buscando a efetividade alcançada em baktestes em períodos pretéritos (coisa que nunca será alcançada, mas pode ser utilizada para descobrir o "tempo e velocidade" do ativo;
II - dentre os selecionados, operar aqueles que estariam em um melhor momento para trends, ou seja, aqueles que já confirmaram uma tendência mensal ou estão próximos disto.

Vale lembrar, se encontramos uma taxa de acerto de 70% para um ativo, mesmo que não realizemos todos os trades, em tese, todo trade aberto teria 70% de acerto no sistema.

Basendo-se nestas idéias, desenvolvi o setup, descrito no meu blog, onde entra-se com 50% do valor destinado ao trade caso a tendência mensal não tiver em alta e caso seja confirmada a força da tendência (pela tendência mensal de alta), pode-se entrar com mais dinheiro no trade (piramidar). Nas hipóteses da tendência mensal ser favorável, pode-se alocar mais dinheiro logo de início.

Com esta forma de operar o drawndow do sistema foi cortado quase pela metade, sem prejudicar sequer em 20% a rentabilidade final (em RAPT4).

Isto porque, as grandes "ondas de alta" que o seguidor de tendências espera surfar começam no semanal e quando adentram na periodicidade mensal, se consolidam e fortalecem.

A partir disto, cabe escolhermos se vamos operar em todos os sinais do ativo escolhido, na primeira sistemática acima descrita, ou se seremos conservadores, somente operando os movimentos feitos após uma tendência mensal se consolidar.

Em alguns ativos como MAGG3 e RAPT4 o índice préterito de acerto desta última forma de operar é incrivelmente alto, mas logicamente perde-se um pouco do movimento inicial da tendência.

Vamos discutindo!

Abraço,

Fernando Vieira "

///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////


"Pessoal,

Altíssimo nível das discussões, muito bom conversar com vcs.

jjonqua,

Concordo parcialmente com sua opinião sobre os backtestes.

Em relação em ser impossível repetir o passado e da pouca base histórica, concordo plenamente.

Entretanto, não encontrei nenhuma ferramenta mais eficaz para visualizar a "velocidade e tempo do ativo", podendo assim otimizar os parâmetros do sistema de trade especificamente para o papel.

Vale dizer, cada ativo, no meu sistema, tem um valor de hilo, macd e víes mensal, calculados por backteste. Unico parâmetro igual para todos é a EMA9 positiva como filtro.

Será que isto é fazer "over fitting"? Acredito que não, justamente porque se eu utilizar uma otimização de um papel em outro, o setup ainda será rentável. Agora deixar de otimizar o sistema para cada ativo, para mim é o mesmo que usar uma ""brocadeira para pregar um quadro na parede", ou "usar uma agulha para cavar um buraco", cada caso e situação exige uma abordagem.

Froede,

O MACD em situação e parâmetros clássicos é lentíssimo e se adequa a maioria dos ativos. Entretando não o utilizo na forma clássica, otimizo todos os seus parâmetros, que nada mais são do que médias, à velocidade do ativo operado.

Logicamente nunca entraremos na base do movimento ou sairemos no topo, mas seguiremos a tendência e com o rastreador da tendência maior (mensal) podemos selecionar ativos em melhor momento para serem operados (exemplo atual de LLIS3, POMO4, FHER3, e até mesmo HGTX3, esta última um pouco mais fraca).

Quanto a escolha do ativo, dentre os previamente selecionados, dentro os que estão em um melhor momento para serem operados (observando a tendencia maior do ativo), é uma decisão particular e cuja efetividade depende da velocidade do ativo (histórica).

O que quero dizer é que existem ativos que montam grandes pernas de alta, como RAPT4, MAGG3, LLIS3, POMO4, e pemitem esta abordagem conservadora , trazendo bons lucros.

Logicamente o início da tendência de alta será perdida e corremos, em pouquíssimas vezes, o risco de entrar próximo a um topo. Mas lembrem-se, as tendências mensais não duram algumas semanas, por vezes elas duram anos. Durante este período desenvolvem-se entradas e saídas no semanal diversas vezes.

Em um mercado direcional e altista, qualquer ativo na compra fica fácil ser operado. Mas em um mercado lateral e indefinido como o atual, quem escolheu operar ativos que se mostraram fortes e em tendência de alta mensal, está colhendo muitos bons frutos.

Concluindo, não estou dizendo que devemos sempre operar os ativos em tendência de alta mensal, (o que acarretaria a desprezar uma boa alta no início da tendência), estou afirmando que no mercado atual, isto é uma forma de proteger nosso patrimônio e obter lucros razoavelmente fáceis.

Gostaria de discutir com vcs fundamentos de ativos para trend following.

Selecionei alguns: RAPT4, EZTC3, POMO4, LLIS3, HBOR3, FHER3, MAGG3, GUAR3, OHLB3 e BRKM5.

Fernando Vieira"

///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////


"Froede,

Concordo totalmente quanto a exposto em relação à qualificação da tendência.

Por isto desenvolvi o sistema de filtro mensal das tendências e piramidar posições quando o viés mensal não for favorável.

Agora, com este sistema, também se abre a possibilidade de somente operar papéis com tendência de alta no mensal e com sinais novos dados no semanal. Ou seja, durante uma tendência de alta mensal, entraremos somente nos sinais semanais dados com posição inteira ou seja desprezando as iniciais ondas de alta, sem a qualificação da tendência.

Isto é lucrativo: sim.
É menos arriscado e tem maior índice de acerto: sim.
O lucro é menor: sim, com as entradas somente após "qualificação da tendência" desprezamos aquele inicial movimento de alta, mas garantimos um menor drawndow.
Podemos ter um meio termo: sim, piramidando posições, entramos com 50% no sinal inicial do setup e com outros 50% quando a tendência se confirmar.

A opção varia de acordo com perfil psicológico de cada um, salientando que a "qualificação da tendência" e o percentual perdido da primeira alta varia de ativo para ativo, sendo que mesmo assim corremos o risco de entrar num sinal falso de "qualificação da tendência".

Complicado? Nem um pouco, se o trader tiver confiança e disciplina no seu sistema de trade (qualquer um, desde que siga as regras) os resultados aparecerão.

Muito se fala em backtestes dos sistemas e setups, agora quantos de nós já fizemos um "feedback" da nossa atuação no sistema? Dito com outras palavras, qual é o índice das vezes que cumprimos a risca o nosso sistema, respeitando as regras pré-estabelecidas?

Não adianta ter um sistema confiável, testá-lo exaustivamente em backtestes e mudar, na prática, durante o trade, a forma de operá-lo.

Pessoalmente, meu índice geral de respeito a todas as regras do meu sistema está 80%, ou seja, tenho que trabalhar ainda mais o fator psicológico e a disciplina na condução dos trades.

Fernando Vieira"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pedidos de Análise

PRIO3 - Novo ativo acompanhando pelo sistema

Como conectar-se com o Blog TFB